Linha do Tempo

De Game Of Thrones BR wiki
Revisão de 17h47min de 1 de maio de 2017 por Vandrianne (Discussão | contribs) (Dinastia Targaryen)
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para: navegação, pesquisa

A Linha do Tempo busca apresentar os pontos mais importantes da história de Westeros e Essos, baseada em datas e informações dadas nos livros e em materiais de apoio.

Segundo a tradição, a história conhecida de Westeros começa há mais de doze mil e quinhentos anos. Os mais antigos registros históricos no continente, entretanto, foram escritos apenas após a chegada dos Ândalos, posto que os Primeiros Homens usavam apenas runas cravadas em rocha. Tudo escrito sobre a Era dos Heróis, a Era da Aurora e a Longa Noite tem origem em histórias escritas pelos septões milhares de anos depois. O rigor das lendas e mitos que contam muito desta história é abertamente questionado pelos meistres da Cidadela, entre muitos outros.

Linha do Tempo

Todas as datas são em relação ao desembarque de Aegon, o Conquistador, usando números negativos para antes. Todas as datas anteriores a este evento são aproximadas; nas datas posteriores, acrecenta-se 'ca', abrieviação de circa, palavra em latim que significa aproximadamente.

A Era da Aurora

Pré-história Antes da chegada dos homens: As terras de Westeros são habitadas por uma misteriosa raça de pequenas criaturas humanóides, conhecidas como os Filhos da Floresta, além de gigantes e outras criaturas mágicas.
-12.000 Os Primeiros Homens invadem Westeros: Um grupo étnico humano, os Primeiros Homens, invadem Westeros por uma ponte de terra, vindos do leste, portando armas de bronze. Os videntes verdes usam magia para submergir a ponte de terra (originando o Braço Quebrado de Dorne), mas já era tarde.

Os Primeiros Homens eram maiores, mais fortes, numerosos e avançados tecnologicamente do que os Filhos, que tentavam resistir aos invasores usando sua mágica. A resistência, porém, não teve sucesso, e os Homens avançam cada vez mais profundo no continente, estabelecendo centenas de pequenos reinos.

-10.000 Assinatura do Pacto: Após muito anos de guerras, os Primeiros Homens e os Filhos da Floresta negociam uma trégua e, finalmente, concordam com uma coexistência pacífica, assinando um pacto na Ilha das Faces. Este pacto dá aos Primeiros Homens domínio sobre terras abertas e deixa os Filhos manterem controle sobre áreas de floresta. Em tempo. os Primeiros Homens adotam a adoração aos Antigos Deuses das Florestas.

A Era dos Heróis

-10.000 Era dos Heróis: período da história de Westeros, nomeado posteriormente assim devido aos grandes homens e mulheres que viveram nestes anos de paz e prosperidade, seguintes à assinatura do Pacto, que duraria por quase 4 mil anos. Neste período, Primeiros Homens e Filhos tornam-se próximos. Os Primeiros Homens põem de lado suas diferenças culturais e adotam os usos e costumes das Crianças da Floresta. Com a exceção do Deus Afogado nas Ilhas de Ferro, os Deuses Antigos tornam-se os deuses também dos homens.

Muitas linhagens nobres atuais de Westeros remontam a esta Era. Foi quando grandes figuras históricas supostamente viveram, como Bran, o Construtor, fundador da Casa Stark; Lann, o Esperto, que roubou o Rochedo Casterly dos Casterly, fundador da Casa Lannister; ou Garth Mão Verde, fundador da Casa Gardener da Campina. Também neste período histórico surgiram os Reis da Tempestade em suas terras, uma linhagem com figuras como seu fundador Durran, suposto construtor de Ponta Tempestade; e o Rei Cinza, primeiro Rei das Ilhas de Ferro.

-8.000 A Longa Noite: Neste tempo, a noite pareceu durar uma geração, e o mais longo, frio e escuro inverno caiu sobre o continente. O gelo se espalhou do norte e, sob cobertura da escuridão, os Outros invadiram Westeros, vindos da Terras de Sempre Inverno, marchando, matando e usando os mortos como suas criaturas mortas-vivas, quase destruindo todos os homens. A Longa Noite terminou na Batalha da Alvorada, após os Filhos e os Homens terem se unido para derrotar os Outros, com armas de obsidiana, empurrando-os de volta às fronteiras congeladas do mais distante norte. Foram liderados por um grande herói que, na tradição oriental, é chamado de Azor Ahai, e porta uma grande espada de fogo, a Luminífera.
Construção da Muralha: Com a derrota dos Outros, Bran, o Construtor, com a ajuda de gigantes, dos Primeiros Homens e, talvez, das Crianças da Floresta, ergueu a Muralha: uma monumental construção de gelo e magia antiga, para proteger os reinos dos homens das ameaças vindas do norte. Ocorre, também, a fundação da Patrulha da Noite, uma irmandade juramentada para ocupar e guardar a Muralha. Diz-se, ainda, que Brandon construiria Winterfell, fundaria a Casa Stark e tornaria-se o primeiro Rei do Norte.

O Rei da Noite: Não muito tempo depois da construção da Muralha, o 13º Senhor Comandante da Patrulha da Noite quebra seu juramento. Ele foi seduzido por uma mulher de Para Lá da Muralha (alguns acreditam que seja uma Outra); declara-se Rei da Noite e levanta-se em rebelião, usando a Patrulha como seu exército. Durante os anos negros de seu reinado, terríveis atrocidades foram cometidas, sobre as quais histórias até hoje são contadas no Norte. Os Stark de Winterfell e Joramun, Rei-Para-Lá-da-Muralha, juntam suas forças para derrotar o Rei da Noite. Este foi o mesmo Joramun que achou o Berrante do Inverno, sobre a qual é dito que pode acordar gigantes das profundezas da terra.

A Invasão dos Ândalos

-6.000 Fundação da Fé: Nas Colinas dos Ândalos, no continente oriental de Essos, uma nova religião é formada, chamada a Fé dos Sete. Supostamente, a suprema divindade dos Ândalos, numa aparição, guia-os para invadir Westeros.

A Invasão dos Ândalos: Os Ândalos cruzam o Mar Estreito, desembarcando na costa leste, onde hoje se encontra o Vale de Arryn. Portam a bandeira da Fé dos Sete, com estrelas de sete pontas marcadas em seus peitos, lutando com armas de aço. Entram em conflito tanto com os Homens quanto com as Crianças, devastando o continente, como os Primeiros Homens haviam feito milhares de anos antes.

Por séculos, os Ândalos guerrearam contra Homens e Crianças, numa tentativa de expulsá-los. Um a um, os reinos do sul caíram, e as árvores de represeiro foram queimadas. Apenas o Reino do Norte continuou sob domínio dos Primeiros Homens, em grande parte devido a estratégica posição da fortaleza de Fosso Cailin, resistindo a diversas tentativas de tomá-la, e, desde então, servindo como um grande portão entre o norte e o sul do continente. Apesar do Norte ter permanecido seguro, as Crianças da Floresta começam sua lenta retirada das terras dos homens, emigrando para as florestas, principalmente Para Lá da Muralha.

-4.000 As Ilhas de Ferro caem perante os Ândalos, acabando com a primeira linhagem de reis que lá controlavam sem serem contestados por mais de mil anos, desde Urron Mão Vermelha. Diferente das outras regiões, entretanto, os Ândalos assimilam os velhos costumes dos homens de ferro, inclusive passando a adorar seu deus.

A Era de Valíria

-5.000 Surgimento da Cidade Franca de Valíria: No continente oriental, os pacíficos povos pastores da Península Valiriana encontram ovos de dragão nos Quatorze Chamas, uma imensa cadeia de vulcões que atravessava a península. Os valirianos domaram os dragões com mágica, dando-lhes meios de ganhar influência na região. A Cidade Franca de Valíria é estabelecida. Em sua capital, Valíria, a magia florescia; torres sem topo se erguiam aos céus onde os dragões voavam; esfinges de pedra olhavam para baixo com seus olhos de granada; ferreiros forjavam espadas de força e fio lendários.

Conquista de Ghiscar: Cinco grande guerras foram travadas entre o Império Ghiscari, o maior império do continente oriental, e a Cidade Franca de Valíria. Os valirianos venceram com a ajuda de seus dragões e, após a última guerra, destruíram a capital Ghiscari, matando seu povo, destruindo as muralhas da cidade e as ruas com fogo de dragão, além de salgar e sulfurizar os campos. O Império Ghiscariano foi destruído, permitindo a Valíria expandir sua influência sobre as cidades da Baía dos Escravos.

-700 As Guerras do Roine: Com a destruição de Velha Ghis, a lenta expansão a oeste da Cidade Franca causa um conflito com as cidades Roinares ao longo do longo Rio Roine. O Príncipe Garin, o Grande reúne um exército de 250 mil homens para enfrentar os valirianos, porém fracassa miseravelmente.

Fuga dos Roinares: Nymeria, uma rainha-guerreira Roinar, leva os sobreviventes da guerra de Garin, principalmente mulheres e crianças, em 10 mil navios através do Mar Estreito, buscando refúgio em Dorne, no sul de Westeros. Lá, Nymeria forma uma aliança de casamento com Lorde Mors Martell, e juntos finalmente organizam a região sob um só reino, estabelecendo a Casa Martell como suserana de todo Dorne. Mors adota diversos costumes roinares. A unificação de Dorne sob Nymeria e Mors leva a novos conflitos com reinos da Campina e da Tempestade, expressados em ataques, confusões e guerras no decorrer dos séculos.

-500 A Cidade Franca de Valíria conquista grande parte no sul da área hoje conhecida como as Cidades Livres. Uma seita religiosa, os Cantores da Lua, lideram diversos refugiados para o norte, onde havia uma lagoa remota, protegida por neblinas e montanhas, fundando a Cidade Secreta de Bravos. Posteriormente, construíram o Titã de Bravos, uma gigantesca estátua que serve como forte de defesa.
-200 A Cidade Franca de Valíria anexa uma pequena ilha na entrada da Baía do Água Negra, na costa leste de Westeros. A Casa Targaryen, uma família nobre de Valíria, assume controle da ilha e constroem um castelo com a forma de dragões, dando à fortaleza e à ilha seu nome: Pedra do Dragão.
-100 A Perdição de Valíria: A natureza da Perdição não é clara, além de que houve uma imensa atividade vulcânica envolvida, provavelmente devido às Quatorze Chamas, as montanhas onde foram descobertos os dragões. A Península Valiriana é devastada, assim como a cidade de Valíria, apesar de não completamente destruídas. Os dragões de Valíria praticamente desaparecem, e a Cidade Franca desmantela-se, com suas várias cidades-estado separando-se e declarando independência, existindo até os dias de hoje como as Cidades Livres e as cidades da Baía dos Escravos, entre outras no continente.

Bravos revela-se às outras Cidades Livres, apresentando-se como a mais poderosa entre elas devido à sua frota e à sua economia. As cidades da Baía dos Escravos tornam-se independentes novamente, apesar do poder Ghiscari voltar a se erguer no sul. Os nômades guerreiros das planícies orientais ficam mais ousados com a queda de Valíria, e começam a atacar terras ao redor. Os Targaryen continuam a salvo em Pedra do Dragão, guardiões dos prováveis últimos dragões do mundo ocidental.

Os Sete Reinos

-3000 Nos séculos subsequentes à Invasão Ândala, os reinos dos Primeiros Homens no sul caem, e os Ândalos erguem seis poderosos reinos próprios.
-3000 Invasão Selvagem: O Povo Livre (selvagens) unem-se sob os irmãos Reis-Para-Lá-da-Muralha, Gendel e Gorne, conseguindo escapar da Patrulha da Noite e atravessar a Muralha em grandes números, usando uma rede de túneis. O Rei Stark, entretanto, encontra os invasores do outro lado e os envia de volta.
-700 No Norte, a Casa Stark finalmente subjuga os Bolton, os grandes adversários de seu domínio na região. Karlon Stark derrotaria atacantes vindos pelo mar e fundaria o ramo Karstark da família.
No Oeste, os homens de ferro, no auge de seu poderio, controlam a maior parte da costa oeste, de Vilavelha e da Árvore ao sul, até a Ilha dos Ursos ao norte.
Os Roinares, fugindo da invasão valiriana, migram para Dorne. É o último grande movimento migratório em direção a Westeros.
-400 A Casa Bolton rebela-se novamente contra os Stark. Após quatro anos de cerco ao Forte do Pavor, a rebelião é esmagada.
-350 Os Reis da Tempestade expandem seu controle ao norte das Terras Ocidentais, incluindo o território das Terras Fluviais até o Gargalo.

Com o tempo, os homens de ferro perdem grande parte de seus domínios; cerca de 3 gerações antes da chegada de Aegon, entretanto, conquistam dos Reis da Tempestade o território das Terras dos Rios. O Rei Nascido de Ferro, Harren Hoare, constrói Harrenhal.

Dinastia Targaryen

1 A Guerra da Conquista: Aegon, o Conquistador invade Westeros, subjuga e une seis dos sete reinos do continente sob seu domínio e constrói uma nova capital em Porto Real. Ele não é capaz de conquistar Dorne, e permite que a região permaneça soberana. Com a destruição do Rei da Tempestade, Argilac, o Arrogante, e com a morte do último Rei da Campina, o controle do castelo de Ponta Tempestade passa para o meio-irmão bastardo de Aegon, Orys Baratheon, e de Jardim de Cima para Harlen Tyrell. Edmyn Tully de Correrrio é nomeado Senhor das Terras Fluviais e Vickon Greyjoy de Pyke torna-se Senhor das Ilhas de Ferro.
37-48 A revolta da Fé Militante: Com a morte de Aegon, seu filho Aenys, nascido de incesto, assume o trono. A Fé dos Sete rejeita sua legitimidade para governar e lidera um levante popular contra os Targaryen. O fraco e indeciso Aenys nomeia seu meio-irmão Maegor como Mão do Rei e lhe dá autoridade para lidar com a crise. A resposta de Maegor é brutal e implacável, resultando na morte de milhares em batalha e matança por fogo de dragão. O massacre dura todo o reinado de Aenys e de Maegor, que o sucedeu.
48 Jaehaerys, o Conciliador: O Rei Jaehaerys I sucede o Rei Maegor, que naquele tempo ficou conhecido como Maegor, o Cruel. Ele declara uma trégua e concorda com o fim da matança, com a condição da dissolução da Fé Militante e subjugo aos Targaryen, ganhando o nome O Conciliador. O reinado de Jaehaerys trouxe décadas de paz e prosperidade.
129-137 A Dança dos Dragões: A primeira grande guerra civil na história dos Sete Reinos. Foi um confronto entre Aegon II e sua meia-irmã Rhaenyra Targaryen pelo trono de seu pai. Acaba por matar ambos, assim como grande parte da família Targaryen e quase todos seus dragões restantes. A guerra termina com a coroação de Aegon III, filho de Rhaenyra.

Morte do último dragão: O Rei Aegon III não consegue criar dragões saudáveis, e aqueles que consegue criar nascem doentios e fracos. Ele não consegue também evitar a morte do último, ganhando o título de Veneno de Dragão. Os últimos dragões deixam diversos ovos, que os Targaryen não conseguem chocar. Estes ovos acabam destruídos ou perdidos, fazendo com que acredite-se que os dragões haviam sido extintos.

157-161 Daeron conquista Dorne: Ao assumir o trono com 14 anos, o Rei Daeron decide finalizar o trabalho de Aegon o Conquistador, e lança uma bem sucedida invasão a Dorne. Infelizmente, ele deixa um Tyrell de Jardim de Cima no comando da região, uma Casa que, por milhares de anos, havia guerreado com os Martell. O governo tirânico desencadeia um levante contra o Trono de Ferro. Quando Daeron retorna com um novo exército, ele é morto, seu primo, o Príncipe Aemon o Cavaleiro do Dragão, capturado e seus 40 mil homens são perdidos.
161-171 Reinado de Baelor, o Abençoado, o Rei septão. Baelor consegue celebrar um tratado de paz com Dorne. Diz-se que conseguiu a paz após atravessar descalço o e resgatar seu primo, Aemon, o Cavaleiro Dragão, de uma cova de víboras. Ele constrói o Grande Septo em Porto Real, que depois seria renomeado como Grande Septo de Baelor. Baelor tranca suas irmãs na Arcada das Donzelas da Fortaleza Vermelha, para que não seja tentado com pensamentos carnais. Apesar disto, sua irmã Daena, a Desafiadora envolve-se com seu primo Aegon (mais tarde, Aegon IV), e dá a luz a um filho bastardo, Daemon.
ca. 170 O Príncipe Daeron, primo de Baelor I, e a Princesa Myriah Martell de Dorne casam-se e tem seu primeiro filho, Príncipe Baelor.
171-172 Reinado de Viserys II.
172-184 Reinado de Aegon IV, O Indigno, conhecido como o pior rei da história de Westeros. Em seu leito de morte, legitima seus 'Grandes Bastardos': Daemon Blackfyre, Aegor Rivers, Brynden Rivers e Shiera Seastar. É sucedido por seu filho, Daeron II, porém sua legitimidade é questionada devido à relação íntima mantida por sua mãe com Aemon, o Cavaleiro Dragão.
184 Para Lá da Muralha: O povo livre une-se sob Raymun Barbavermelha, o Rei-Para-Lá-da-Muralha. Pegando a Patrulha da Noite de surpresa, escalam a Muralha e invadem o Norte. São detidos na Batalha de Lago Longo por uma tropa Stark, comandada pelo Lorde Willam.
184-209 Reinado de Daeron II.
195-196 A Rebelião Blackfyre: A segunda grande guerra civil no reino é iniciada após Daemon Blackfyre reivindicar o Trono de Ferro, alegando ilegitimidade de Daeron II. Com muitos lordes o apoiando, Daemon marcha suas forças em direção a Porto Real, mas é derrotado na Batalha do Campo do Capim Vermelho. Daemon é morto por seu meio-irmão, Brynden Rivers, porém vários de seus filhos fogem para as Cidades Livres com Açoamargo.
197 Dorne une-se oficialmente aos Sete Reinos, através do casamento da irmã mais nova de Daeron II, Daenerys com o Príncipe Maron Martell.
209 Época dos eventos ocorridos em The Hedge Knight: Príncipe Baelor Targaryen, o herdeiro ao trono, morre num acidente em um torneio. Alguns meses depois, Rei Daeron II e os dois filhos de Baelor morrem na Grande Praga da Primavera. O segundo filho de Daeron, Aerys I, é coroado. O sobrinho do Príncipe Baelor, Aegon, torna-se escudeiro de um cavaleiro andante, Sor Duncan, o Alto, buscando melhorar seu vigor e coragem.
209-211 Reinado de Aerys I.
ca. 211 Época dos eventos ocorridos em The Sworn Sword: Casa Webber e a Casa Osgrey da Campina tornam-se aliadas. Corvo de Sangue torna-se Mão do Rei na época, enfurecendo o Príncipe Maekar, irmão de Aerys e do falecido Baelor.
ca. 212 A Segunda Rebelião Blackfyre: partidários dos Blackfyre tentam iniciar uma segunda rebelião, porém Corvo de Sangue descobre o plano, captura um dos filhos de Daemon Blackfyre e executa a maior parte dos conspiradores antes que uma batalha precisasse ser travada.
221-233 Reinado de Maekar I. Seu filho mais velho, Daeron morre de varíola, e seu segundo filho Aerion Chamaviva morre após beber fogovivo. Seu terceiro filho, Aemon viaja a Vilavelha para se tornar um meistre. Maekar morre em batalha contra um Rei fora da lei. Aemon recusa a coroa e retira-se para a Muralha. Príncipe Aegon torna-se Aegon V, O Improvável, por ser o quarto filho de um quarto filho. Corvo de Sangue é exilado para a Muralha, chegando ao posto de Senhor Comandante.
ca. 255-260 A Guerra dos Reis de Nove Moedas começa quando o Bando dos Nove, que incluía Maelys Blackfyre, conquista a Cidade Livre de Tyrosh e os Degraus, antes de planejar um ataque a Westeros. Sor Barristan mata Maelys. Brynden Tully tem uma notável participação na guerra.
259 A Tragédia de Solarestival: O Rei Aegon V e seu herdeiro, Príncipe Duncan, são mortos num grande incêndio no palácio de verão dos Targaryen. O fogo foi iniciado numa tentativa mal-sucedida de chocar os últimos três ovos de dragão do ocidente, e anunciou, ou contribuiu diretamente, para o nascimento de Rhaegar Targaryen.
259-262 Reinado do segundo filho de Aegon, Jaehaerys II.
262-283 Reinado de Aerys II, o Rei Louco. Ele indica o jovem e impiedoso Tywin Lannister como sua Mão.
ca. 270 O Rei Aerys recusa com desprezo a oferta de Tywin Lannister de casar sua filha Cersei com Rhaegar, casando-o, ao invés, com Elia Martell, de Dorne.

O Desafio de Valdocaso ocorre quando a Casa Darklyn recusa-se a pagar impostos ao Trono de Ferro. Aerys, ávido para resolver sozinho a situação, acaba por ser aprisionado. Valdocaso é cercada por seis meses, até que Barristan Selmy consegue libertar o Rei. Os Darklyn são destruídos e a Casa Rykker passa a controlar a vila. Diz-se que foi o Desafio que iniciou a queda de Aerys em direção à loucura. Neste período, o Príncipe da Pedra do Dragão, Rhaegar, começa a se corresponder com Meistre Aemon e considera que seja o Príncipe Que Foi Prometido, que deve renascer para lutar contra a grande escuridão, quando esta retornasse. Após, concluem que, na realidade, o príncipe prometido seria o filho de Rhaegar, Aegon.

281 O Ano da Falsa Primavera: Lorde Whent organiza um grande Torneio em Harrenhal, onde o Príncipe Rhaegar se destaca, porém nomeia Lyanna Stark de Winterfell, noiva de Robert Baratheon, como Rainha do Amor e da Beleza, no lugar de sua esposa Elia. Eddard Stark conhece e torna-se amigo de Howland Reed de Atalaia da Água Cinzenta.

O bando de foras da lei conhecidos como a Irmandade da Mata de Rei é derrotada por uma força comandada por Arthur Dayne; durante o conflito, o jovem escudeiro Jaime Lannister destaca-se e torna-se cavaleiro, sendo depois indicado para a Guarda Real. Tywin Lannister, em protesto, renuncia ao posto de Mão e retorna ao Rochedo Casterly.

282 Rebelião de Robert: Rhaegar Targaryen sequestra Lyanna Stark. O pai e o irmão de Lyanna - Rickard e Brandon - exigem que Aerys discipline-o, porém o Rei ordena que os dois sejam cruelmente executados. Aerys exige as cabeças de Robert Baratheon e Eddard Stark de seu tutor, Jon Arryn. Ao invés, as Casas Arryn, Stark, Tully e Baratheon levantam as bandeiras de uma belião. Robert reivindica o trono pela descendência de seu bisavô, Aegon V e então a Rebelião de Robert, também conhecida como a Guerra do Usurpador, começa.
A Casa Tyrell permanece leal ao Rei, e cerca o castelo de Robert, Ponta Tempestade, controlado por seu irmão, Stannis. A Mão do Rei, Jon Connington, é derrotada na Batalha dos Sinos e é exilado nas Cidades Livres. O exército rebelde derrota os leais ao Rei na Batalha do Tridente.

Príncipe Rhaegar é morto. Os Lannister aparentemente marcham para o auxílio do Rei Aerys, porém viram-se contra ele e saqueiam a capital. O Rei é morto por Sor Jaime. A Princesa Elia e seus filhos, Aegon e Rhaenys são brutalmente assassinados por vassalos Lannister, causando atrito entre Eddard e Robert. Ned Stark e Howland Reed derrotam a Guarda Real que protegia a Torre da Alegria, mantendo Lyanna prisioneira, porém a encontram morrendo.

Dinastia Baratheon

283 Robert I é coroado e casa-se com Cersei Lannister, seguindo conselho de sua Mão, Jon Arryn.

Sobreviventes leais aos Targaryen levam os dois filhos mais novos de Aerys, Príncipe Viserys e a Princesa Daenerys, para as Cidades Livres, para que cresçam em segurança.

289 A Rebelião Greyjoy: Balon Greyjoy auto-intitula-se Rei das Ilhas de Ferro, mas é derrotado e seus dois fihos mais velhos são mortos. O Rei Robert I aceita sua rendição é o filho sobrevivente de Balon, Theon, torna-se protegido e refém de Eddard Stark.
297 O Magíster Illyrio Mopatis de Pentos convida Viserys e Daenerys Targaryen para ficarem em sua mansão e lhes oferece ajuda para retomar o trono.
Jon Arryn descobre que os herdeiros ao Trono de Ferro são bastardos e morre envenenado.

As Crônicas de Gelo e Fogo

298 Tem início o período dos eventos descritos na série de livros. Os 5 primeiros livros percorrem um período de pouco mais de 3 anos, tendo conclusão no ano 300.
No Norte, após milhares de anos sem nenhum encontro, os Outros reaparecem num ataque contra patrulheiros e um grupo de selvagens.
Os Sete Reinos são tomados pela Guerra dos Cinco Reis, após a morte do Rei Robert Baratheon, um conflito central que atravessa os 5 livros.

No leste, Daenerys Targaryen choca três ovos de dragão, trazendo as criaturas novamente de volta ao mundo.

299 Para Lá da Muralha: Com as perturbadoras notícias de um novo conflito Para Lá da Muralha se aproximando, a Patrulha da Noite parte com uma grande força para uma patrulha no norte distante.

No leste, Daenerys conquista as grandes cidades da Baía dos Escravos, mergulhando a região no caos.

300 Tommen Baratheon é o Rei Rapaz no Trono de Ferro.

Após um verão de uma década, o inverno finalmente chega em Westeros.


Nota: Esta página utiliza conteúdo da A Wiki Of Ice And Fire. O conteúdo original está aqui em Timeline of major events. A lista de autores pode ser vista no histórico da página.