Rhaenys Targaryen

De Game Of Thrones BR wiki
Ir para: navegação, pesquisa
Targaryen.png
Rhaenys Targaryen
Targaryen.png
Rhaenys Targaryen Amoka.jpg
Rhaenys, por Amoka ©
Título Rainha
Lealdade Casa Targaryen
Cultura Valiriana
Esposa(o) Aegon I Targaryen
Nascimento Em 26 a.C., em Pedra do Dragão
Morte Em 10 d.C., em Toca do Inferno
Para os artigos que compartilham o mesmo título, por favor veja esta página de desambiguação. Disambig.png

Rhaenys Targaryen foi a irmã mais nova do rei Aegon I Targaryen, o primeiro Senhor dos Sete Reinos. Ela era casado com o irmão, assim como sua irmã mais velha Visenya, e dizem que Aegon a tinha como favorita. Seu filho, Aenys I, daria continuidade a linhagem dos reis dragão, com quinze dos próximos dezesseis monarcas Targaryen sendo descendentes de Rhaenys e Aegon. Ela montava o dragão Meraxes.

Aparência e personalidade

Rhaenys era uma mulher bela[1] de cabelo dourado prateado, que ela mantinha longo e solto, e tinha um corpo esbelto.[2] Ela era carinhosa,[1] graciosa, brincalhona, curiosa, impulsiva e dada a devaneios de fantasia, com um aspecto malicioso a sua personalidade.[2][3] Ela adorava música, dança e poesia. Também amava voar, sendo dito que ela passava mais tempo voando com seu dragão do que seus irmãos, juntos.[3]

História

Rhaenys nasceu em Pedra do Dragão,[4] filha do lorde Aerion Targaryen e da senhora Valaena Velaryon. Ela tinha dois irmãos: Visenya e Aegon. Seguindo os costumes valirianos, era esperado que Aegon tomasse apenas Visenya, a mais velha, como esposa, porém ele acabou se casando com as duas irmãs. O povo acredita que Aegon se casou com Visenya por dever e com Rhaenys por desejo. Antes do casamento, Rhaenys havia conseguido montar em um dragão, Meraxes, formando um laço com o animal.[3]

A conquista

Ver também: Guerra da Conquista

Quando seu irmão Aegon iniciou a sua conquista dos Sete Reinos, Rhaenys partiu com ele de Pedra do Dragão. Ela e Visenya foram enviadas para tomar os castelos da região próximo aos desembarque. Rhaenys voou com Meraxes até a fortaleza de Rosby, que se submeteu a ela pacificamente. Após ter conquistado uma dúzia de Casas, Aegon foi coroado rei. Rhaenys, agora rainha, o saudou como "Aegon, o Primeiro do seu nome, Rei de toda a Westeros e Escudo do seu Povo" após Visenya ter colocado uma coroa de aço valiriano sobre a cabeça do seu irmão-marido. Dentro de alguns dias após a coroação de Aegon, os exércitos Targaryen se puseram em marcha novamente. Rhaenys, montada em Meraxes, acompanhou Orys Baratheon, junto com uma grande tropa Targaryen, e foram para as Terras da Tempestade. Enquanto cruzavam o rio Águacurva, o exército Targaryen foi atacado pelas forças das Casas Errol, Fell e Buckler, vassalos da Casa Durrandon. Mais de mil homens foram mortos antes dos atacantes recuarem de volta para as árvores. Rhaenys respondeu soltando Meraxes sobre eles. O fogo do dragão varreu a floresta, queimando as árvores. Lorde Errol morreu, mas os lordes Fell e Buckler sobreviveram para avisar Ponta Tempestade. O rei Argilac Durrandon, ao saber da morte de Harren Hoare na Queima de Harrenhal, decidiu marchar e enfrentar os Targaryens em campo aberto, se recusando a ser queimado em seu castelo como Harren. Rhaenys, montada em Meraxes, testemunhou sua saída de Ponta Tempestade e reportou os movimentos e os números de Argilac para Orys. Os exércitos se encontraram numa luta feroz, conhecida como "a Última Tempestade", enquanto uma grande tempestade caía sobre eles no campo. Os Durrandon realizaram três ataques durante a batalha. Na terceira vez, eles quebraram o centro das linhas do Baratheon, mas acabaram frente a frente com Rhaenys e Meraxes. Os cavaleiros da guarda pessoal de Argilac, e Dickon Morrigen e o Bastado de Portonegro, que comandavam a vanguarda, foram engolfados em fogo de dragão. Os cavalos fugiram em terror e o caos tomou conta do campo de batalha. Argilac se viu frente a frente com Orys Baratheon e acabou morrendo pelas mãos dele. Com a morte do último Rei da Tempestade, Rhaenys acompanhou seu exército até Ponta Tempestade e voou com Meraxes sobre o castelo com o intuito de negociar com a filha e herdeira de Argilac, Argella Durrandon. Embora Argella tenha afirmado que não renderia o seu castelo, a sua guarnição decidiu dobrar o joelho e entregou tanto Argella quanto Ponta Tempestade para Orys.[3]

Rhaenys se encontrou com Visenya, Aegon e o exército Targaryen no Septo de Pedra, onde eles correram para o sul para enfrentar as tropas dos reis da Campina e das Terras Ocidentais, comandadas por Mern IX Gardener e Loren I Lannister. Rhaenys e seus irmãos lutaram montados em seus dragões, queimando o campo de batalha, matando quatro mil soldados inimigos e ferindo outros dez mil no que ficaria conhecido como Campo de Fogo. O rei Mern IX morreu em batalha e o rei Loren I fugiu e em seguida dobrou o joelho, dando vitória completa aos Targaryen.[3]

Após a rendição de Loren Lannister, os três Targaryens novamente partiram juntos, desta vez em direção do rio Tridente, onde foram enfrentar uma enorme tropa nortenha sob comando do rei Torrhen Stark. Torrhen, contudo, não deu batalha e dobrou o joelho, permitindo que Rhaenys partisse para Dorne, no sul. Ela voou com seu dragão por sobre as Montanhas Vermelhas, ignorando a tropa dornesa no Passo do Príncipe, e pousou em Vaith. Ela encontrou o castelo abandonado, com uma pequena população de mulheres, crianças e velhos em uma pequena cidade próxima. Rhaenys partiu então para a Graçadivina, a fortaleza da Casa Allyrion, e depois para Vila Tabueira, mas, novamente, encontrou estes lugares vazios, sem soldados ou lordes à vista. Rhaenys eventualmente chegou em Lançassolar, encontrando apenas a velha Meria Martell, a Princesa de Dorne. Meria disse para Rhaenys informar Aegon que Dorne não lutaria e não dobraria o joelho, e não se submeteria a um rei. Rhaenys avisou Meria que os Targaryens retornariam e logo em seguida partiu de Lançassolar, deixando Dorne como o único dos Sete Reinos a não ser conquistado.[3]

Reinado dos Dragões

Após a coroação de Aegon I em Vilavelha pelo Alto Septão, Rhaenys, Aegon e Visenya partiram para morar no Forte de Aegon, em Porto Real. Aegon geralmente deixava o dia-dia de governo para suas irmãs e o seu conselho.[1] Rhaenys foi responsável pela "lei dos seis". Esta lei declarava que apenas seis golpes poderiam ser dados por um marido numa esposa infiel como punição, sendo um golpe para cada um dos Sete Deuses, menos o Estranho. A causa da criação desta lei foi a o relato de um homem que havia espancado sua esposa até a morte, com cerca de noventa e quatro golpes, e foi permitido ao irmão da mulher punir o marido da mesma forma.[1] Além disso, Rhaenys pediu para Aegon proibir os homens de ferro de roubarem mulheres pelos Sete Reinos.[5]

Durante os primeiros anos do reinado do irmão, Rhaenys normalmente ajudava Aegon em seus esforços de conquistar a simpatia de seus lordes vassalos e do povo comum. Os plebeus eram uma preocupação em particular para Rhaenys. Ela gostava de cantores e bardos também.[1] Ela também arranjou casamentos entre nobres de várias Casas.[1] Uma dessas uniões foi o casamento da filha do Lorde Torrhen Stark com Ronnel Arryn, o Senhor do Ninho da Águia.[6][7] Contudo, de acordo com cartas encontradas na Cidadela, é sugerido que Torrhen apenas concordou com esta união após muito protesto e seus filhos, que não gostavam de viver sob o governo Targaryen, se recusaram a comparecer na cerimônia.[6]

Era dito na corte que para cada dez noites que Aegon passava com Rhaenys, ele passava apenas uma com Visenya. Quando o marido não estava presente, Rhaenys se cercava de homens jovens. Havia rumores de que ela tinha casos com eles.[3] Rhaenys deu a luz ao filho mais velho de Aegon, Aenys, em 7 d.C.. Contudo, o garoto era fraco e adoecia com facilidade na infância;[8] Aenys chorava muito e se recusava a ser tratado pelas enfermeiras e amas de leite, mamando apenas no peito da mãe.[9] Isso alimentou rumores de que o pai da criança não era Aegon, mas talvez um dos cantores ou atores de pantomina que Rhaenys se associava.[8] Este rumor persistiria por muito tempo, até além da morte de Rhaenys.

Guerra contra Dorne

Ver também: Primeira Guerra Dornesa

Em 4 d.C., Aegon I iniciou sua campanha para trazer Dorne para os Sete Reinos. Rhaenys liderou o primeiro ataque, queimando castelos e tomando cidades, como Vila Tabueira, enquanto avançava rumo a Lançassolar. Contudo, novamente, os dorneses haviam abandonado suas fortalezas e vilas, se recusando a enfrentar os exércitos Targaryen em uma batalha campal. Quando Rhaenys e Aegon eventualmente chegaram em Lançassolar, a princesa Meria Martell, assim como vários outros lordes, haviam fugido. Rhaenys e Aegon reuniram vários cortesões e oficiais públicos que haviam ficado para trás, e se declararam vitoriosos, proclamando que Dorne havia sido submetida ao Trono de Ferro. Rhaenys e Aegon retornaram para Porto Real, deixando Lorde Rosby como castelão de Lançassolar e dando ao Lorde Harlen Tyrell a tarefa de encontrar e destruir o que sobrou da revolta dornesa. Porém, antes mesmo do rei chegar a capital, os dorneses se rebelaram com toda a força, matando Lode Rosby, pelas mãos da própria Princesa Meria, e Lorde Tyrell, que desapareceu com todo o seu exército, em 5 d.C., enquanto marchava para retomar Lançassolar.[10] Guarnições inteiras de soldados leais aos Targaryen foram mortos e vários cavaleiros foram torturados até a morte.[11]

A guerra em Dorne se arrastou, se tornando mais e mais violenta. Os Targaryens retornavam para Dorne com seus dragões e os dorneses respondiam com seu próprio fogo. Em 10 d.C., na fortaleza de Toca do Inferno, um dardo disparado de uma balista atingiu Meraxes bem no olho. O dragão caiu do céu com Rhaenys em suas costas, destruindo metade do castelo. Alguns dizem que Rhaenys caiu da sua montaria e morreu ao encontrar o chão, embora há quem dia que caiu junto com Meraxes e os dois faleceram juntos. Há relatos também de que ela teria sobrevivido a queda e teria morrido lentamente devido aos ferimentos, sendo torturado pelos Ullers. Apesar da incerteza da morte de Rhaenys, a história recorda oficialmente que ela morreu em 10 d.C. na Toca do Inferno em Dorne. Seu corpo nunca foi retornado para Porto Real.[11]

Legado

O filho de Rhaenys, Aenys, tinha três anos quando ela morreu. Sempre fraco e doente, a morte da mãe abalou muito o menino e havia dúvidas se ele sobreviveria muito tempo.[12] Mesmo um pouco crescido, ele voltou a rastejar como um bebê.[9] Contudo, quando Aenys recebeu o bebê dragão Quicksilver, sua condição melhorou e "enquanto o dragão crescia, Aenys também o fazia". Além disso, seu laço com o dragão acalmou os rumores de que ele não era mesmo filho de Aegon.[8]

Os anos anos seguintes a morte de Rhaenys foram conhecidos como a "Ira do Dragão". Tomado pela dor da morte da irmã, Aegon e Visenya partiram com seus dragões e queimaram cada castelo e fortaleza em Dorne pelo menos uma vez, com exceção de Lançassolar e a Cidade Sombria, colocando também recompensas nas cabeças de lordes dorneses. A guerra contra os dorneses se arrastaria até 13 d.C..[11]

Embora um grande Septo já tivesse sido construído na Colina de Visenya em Porto Real, o Septo da Memória foi mais tarde erguido na colina de Rhaenys como um memorial a rainha.[1]

Família

 
 
 
 
 
 
{Valaena Velaryon}
 
 
 
 
 
{Aerion}
 
 
 
 
 
Desconhecida
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
{Visenya}
 
 
 
{Aegon I}
 
 
 
{Rhaenys}
 
{Orys
Baratheon}
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
{Jeyne Westerling}
 
{Maegor I}
 
 
 
{Aenys I}
 
 
 
 
Casa
Baratheon
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
{Jaehaerys I}
 
{Alysanne}
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Vários
descendentes
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
{Viserys I}
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Referências e notas



Nota: Esta página utiliza conteúdo da A Wiki Of Ice And Fire. O conteúdo original está aqui em Rhaenys Targaryen. A lista de autores pode ser vista no histórico da página.