Pycelle

De Game Of Thrones BR wiki
Ir para: navegação, pesquisa
Pycelle
Pycelle Fantasy.jpg
Pycelle, para a Fantasy Flight Games ©
Título Grande Meistre dos Sete Reinos
Lealdade Ordem dos Meistres
Casa Lannister
Nascimento Em 215 d.C.
Morte Em 300 d.C., em Porto Real
Aparece
Aparece
Aparece
Aparece
Aparece
Outros

GoT Logo.jpg
Interpretado(a) por Julian Glover
Aparições 1º Temporada | 2º Temporada | 3º Temporada | 4º Temporada | 5º Temporada | 6º Temporada

Pycelle é um Grande Meistre da Cidadela, serviu em Porto Real e no pequeno conselho por mais de quarenta anos, servindo seis reis. Foi exonerado por Tyrion Lannister por ser espião da Rainha Regente Cersei, mas foi depois reinstalado. Na série de televisão, é interpretado pelo ator Julian Glover.

Aparência e personalidade

Julian Glover como Meistre Pycelle.

Pycelle tem fios esparsos de cabelo sobre sua careca cheia de pintas. Sua corrente de meistre tem duas dúzias de correntes ligadas que se esticam do pescoço ao peito.

Pycelle subverte os votos de sua ordem para atender suas necessidades, atendendo às necessidades da carne e se envolvendo com venenos e política com uma habilidade que poucos meistres se arriscariam a assumir.

História

Pycelle forjou sua corrente de meistre durante o reinado do Rei Maekar I, e serviu os reis Aegon V, Jaehaerys II, Aerys II, Robert I, Joffrey I e Tommen I. Apesar de ter prestado um juramento de servir ao reino, Pycelle tem mais lealdade à Casa Lannister. Ele convenceu o Rei Louco a abrir os portões de Porto Real a antiga Mão do Rei, Tywin Lannister, nos derradeiros dias da Rebelião de Robert, na esperança que Lorde Tywin tomaria para si o trono. Permitiu, anos depois, que Lorde Jon Arryn, então Mão, morresse sob seus cuidados, mandando um meistre embora e negando atendimento, para manter o segredo do incesto da Rainha Cersei; de uma forma geral, promove há anos os interesses da Casa Lannister no pequeno conselho.

Eventos recentes

Info Aviso: Esta seção contém revelações sobre o enredo (spoilers).

A Guerra dos Tronos

Lysa Arryn informa a sua irmã Catelyn Stark que Pycelle não se esforçou para salvar a vida de Jon Arryn. Pycelle recebe Lorde Eddard Stark na primeira reunião do pequeno conselho, logo após sua chegada de Winterfell, para assumir sua posição de Mão do Rei. Após, quando Ned interroga Pycelle sobre a morte de Jon Arryn, Pycelle diz que, de acordo com sua experiência, a morte da antiga Mão do Rei foi suspeita. Quando confrontado com as acusações da Senhora Lysa, de que ele havia sido envenenado, Pycelle acusa Varys.

Pycelle apoia, assim como Renly, Varys e Mindinho, a ideia do Rei de assassinar Daenerys Targaryen, antes que ela possa dar um herdeiro a Khal Drogo.

Após Eddard Stark se ferir num combate nas ruas de Porto Real com Jaime Lannister, Pycelle atribui a si mesmo a recuperação de Ned. Quando é descoberto que Gregor Clegane vinha liderando ataques nas Terras Fluviais, queimando diversos vilarejos, Pycelle tenta atrasar qualquer ação tomada contra Tywin Lannister. Ned se torna progressivamente mais convencido de que Pycelle seria uma criatura da Rainha.

Pycelle cuida dos ferimentos de Robert após seu 'acidente de caça', e avisa Lorde Eddard de sua morte. Está presente quando Lorde Eddard apresenta o testamento de Robert e é preso. Sob ordens de Cersei, visita a enlutada Sansa Stark após a morte de seu pai, e a examina intrusivamente, antes de dar uma poção para acalmá-la. Pycelle está presente na primeira sessão da corte do Rei Joffrey.

A Fúria dos Reis

Tyrion Lannister, atuando como Mão, não tem certeza em quem pode confiar, então conta três segredos, um para Varys, um para Mindinho e um para Pycelle; ele vai a Pycelle para enviar cartas ao Príncipe Doran Martell, de Dorne. Pycelle as envia, porém as lê antes; ele divide as informações com Cersei, que confronta seu irmão, fazendo-o perceber que poderia confiar em Varys e Mindinho. No tempo que Pycelle leva para ler as cartas, o anão pega um fraco veneno dos armários do meistre, que posteriormente aplica em Cersei. Pycelle está presente quando Lorde Tyrion apresenta seus termos para a paz com o Norte.

À meia-noite, Tyrion, acompanhado de Shagga e Timett, confronta Pycelle em seus aposentos, onde ele é encontrado nu com uma serva em sua cama. Com a ajuda de Shagga, Tyrion intimida Pycelle, que molha os lençóis com medo dos homens dos clãs. Enquanto Shagga raspa a barba (sua assinatura pessoal) de Pycelle usando um machado muito afiado, Tyrion descobre que o reino foi traído por Pycelle por diversas vezes em serviço à Casa Lannister. Ele permitiu Jon Arryn morrer quando facilmente poderia tê-lo salvo, convenceu Aerys II a abrir os portões da cidade para as forças de Tywin durante a rebelião, e teria ele mesmo terminado com Robert, se as feridas causadas pelo javali não tivessem sido fatais.

Pycelle justifica a morte de Jon Arryn, já que ele estava perto de descobrir a verdade sobre o incesto de Cersei e a paternidade de Joffrey, admitindo que Meistre Colemon esta tratando de Jon Arryn corretamente, mas a Rainha precisava dele morto. Ele justifica a morte de Robert, já que Renly está planejando com os Tyrell para matar Cersei e casar-se com Margaery. Tyrion ordena que ele seja jogado em uma das celas negras da Fortaleza Vermelha.

A Tormenta de Espadas

Pycelle, sob ordens de Tywin Lannister, reassume seu posto de Grande Meistre, após a Mão do Rei descobrir que a Cidadela planejava indicar um membro da Casa Tyrell como seu substituto. Pycelle, de barba raspada e enfraquecido por seu tempo na celas negras, parece um homem quebrado. Ele adormece durante o casamento de Joffrey Baratheon e Margaery Tyrell, e é incapaz de tomar qualquer medida para impedir a morte do Rei por veneno em seu banquete de casamento, algo que amarga a opinião da Rainha Cersei sobre ele.

Durante o julgamento de Tyrion Lannister por regicídio, ele é chamado como testemunha de acusação para discutir qual veneno poderia ter matado o Rei.

O Festim dos Corvos

Após a morte de Joffrey, a relação entre Pycelle e a Rainha Cersei se tornam mais tensas. Ele se opõe à nomeação de Qyburn, um meistre desonrado, ao pequeno conselho. Cersei o culpa pelo deplorável estado do cadáver de Tywin Lannister em seu funeral. Taena de Myr suspeita de Pycelle quando ele conta a Cersei que ele se encontra frequentemente na companhia da Rainha Margaery Tyrell. Pycelle se opõe a maioria das ordens de Cersei como Regente, como a recusa de honrar os débitos com o Banco de Ferro de Bravos, e a sua decisão de permitir a reinstituição da Fé Militante. Após pressões de Cersei, Pycelle confessa ter dado chá da lua à Margaery, um contraceptivo.

Esta descoberta é crucial nos esforços de Cersei em acusar Margaery de adultério e traição, entregando-a ao Alto Septão para encarcerá-la.

Cersei considera substituí-lo, e o futuro de Pycelle na corte parece incerto. Quando Cersei é presa pela , entretanto, Pycelle, com sucesso, toma controle do conselho. Ele remove Osfryd Kettleblack do posto de comandante das Capas Douradas (para que ele não usasse a força de sua guarda para tentar libertar Cersei e seu irmão, Osney, ambos prisioneiros no Grande Septo de Baelor), e promove o comandante do Portão do Dragão para o comando. Ao fim de O Festim dos Corvos, Qyburn afirma para Cersei que o reino está sendo efetivamente governado por Pycelle e pela Mão, Harys Swyft. Pycelle envia uma mensagem a Sor Kevan Lannister oferecendo-lhe a Regência.

A Dança dos Dragões

Pycelle continua com seus deveres de Grande Meistre, mas está cauteloso com Mace Tyrell, pois este está furioso por ele ter revelado os pedidos da Rainha Margaery por chá da lua. Ele chega a pedir guardas para Sor Kevan, com medo de sua segurança pessoal. Os medos de Pycelle se provam justificados quando é assassinado em seus aposentos - não por homens Tyrell, mas por Lorde Varys, que remove ele e Kevan Lannister para assegurar que não reparem os danos feitos por Cersei ao reino e à aliança Lannister-Tyrell.



Nota: Esta página utiliza conteúdo da A Wiki Of Ice And Fire. O conteúdo original está aqui em Pycelle. A lista de autores pode ser vista no histórico da página.