Maegor I Targaryen

De Game Of Thrones BR wiki
Ir para: navegação, pesquisa
Targaryen.png
Maegor I
Targaryen.png
Maegor I Targaryen Amoka.jpg
Maegor I Targaryen, por Amoka ©
Informações biográficas
Reinado 42 d.C. a 48 d.C.
Nome completo Maegor Targaryen, o Primeiro de Seu Nome
Apelido(s) Maegor, o Cruel
Outros títulos Mão do Rei sob Aenys I Targaryen
Senhor dos Sete Reinos
Família
Casa Real Casa Targaryen
Predecessor Aenys I Targaryen
Sucessor Jaehaerys I Targaryen
Rainha Ceryse Hightower
Alys Harroway
Tyanna
Elinor Costayne
Rhaena Targaryen
Jeyne Westerling
Pai Aegon I Targaryen
Mãe Visenya Targaryen

Casa Targaryen de Porto Real.png
Para os artigos que compartilham o mesmo título, por favor veja esta página de desambiguação. Disambig.png

Maegor I, chamado de Maegor, o Cruel, foi o terceiro rei Targaryen a se sentar no Trono de Ferro. Era filho de Aegon, o Conquistador e Visenya Targaryen.

Aparência

Maegor era grande, maior do que seu pai, Aegon I. Um guerreiro, ele parecia um touro, com ombros largos, pescoço grosso e braços fortes. Mantinha seu cabelo curto e a barba aparada à linha do queixo. Usava a coroa do pai.

Biografia

Juventude

Maegor foi considerado um guerreiro habilidoso, distinguindo-se bem em torneios e contendas. Com a idade de treze anos, ele competiu em uma contenda, onde derrotou cavaleiros experientes. Na idade de 16 anos, no torneio real de 28 d.C. em Porto Real , ele desmontou três cavaleiros da Guarda Real em justas sucessivas no torneio, e mais tarde passou a ganhar no corpo a corpo. Ele era um cavaleiro melhor do que muitos homens crescidos que ele conheceu nas listas. Ele foi nomeado cavaleiro pelo seu pai quando ele tinha apenas 16 anos de idade - o cavaleiro mais jovem do reino naquela época.

Após a morte de seu pai, o irmão mais velho de Maegor, Aenys assumiu o trono. Admitindo a todos reunidos que ele não era o guerreiro que seu meio-irmão era, Aenys presenteou Maegor com a espada valiriana de Aegon, Blackfyre. Foi também após a morte do pai, em 37 d.C., que Maegor tornou-se o montador do dragão Balerion. Balerion era o dragão que Maegor sempre desejou para si, não encontrando nenhum outro digno o suficiente.

Em 23 d.C., Princesa Rhaena, filha mais velha do rei Aenys I, nasceu. A Rainha Viúva Visenya Targaryen sugeriu que Maegor fosse prometido em casamento a ela, mas um protesto vigoroso do Alto Septão parou isso. Em vez disso, Maegor foi casado com a sobrinha do próprio Alto Septão, Lady Ceryse Hightower, em 25 d.C..

No primeiro ano do reinado de seu meio-irmão, diversas rebeliões eclodiram. Uma dessas rebeliões ocorreram no Vale. Lá, Jonos Arryn se levantou contra o seu próprio irmão, Lorde Ronnel Arryn, e havia aprisionado Ronnel e sua família. Maegor pessoalmente esmagou essa rebelião, voando em Balerion ao Ninho da Águia e executou Jonos e seus seguidores. Para recompensá-lo por este ato, Aenys nomeou Maegor como novo Mão do Rei.

Maegor foi destituído de seu cargo em 39 d.C., quando ele chocou o reino por ter uma segunda esposa, Alys Harroway. Este casamento irritou a Fé dos Sete, então Aenys tentou aplacar a Fé despojando Maegor de seu cargo e enviando-o para o exílio em Pentos. Um renomado septão conhecido como Murmison substituiu Maegor como Mão do Rei.

Em 41 d.C., no entanto, a Fé se rebelou contra Aenys novamente, e o Rei não foi capaz de lidar com a pressão. Em 42 d.C., Aenys adoeceu, e a rainha viúva Visenya cuidou dele. Por um tempo, sua saúde Aenys melhorou, mas quando o Rei soube que sua filha mais velha e filho, Rhaena e Aegon, estavam sendo assediados em Crakehall, ele desmaiou. Três dias depois, ele morreu. Loggo após Aenys ser queimado e enterrado, Visenya voou para Pentos no lombo do seu dragão, Vhagar, para trazer de volta Maegor para Westeros.

Reinado

Maegor ascendeu ao Trono de Ferro em 42 d.C. à frente do filho mais velho de seu irmão e herdeiro, Aegon. Ele foi coroado em Pedra do Dragão, usando a coroa valiriana de aço de seu pai, em vez da coroa ornamentada de Aenys. Grande Meistre Gawen protestou na coroação de Maegor, afirmando que por todas as leis de herança, a coroa deveria passar para o filho de Aenys. Com essa declaração, Maegor o decapitou com a Blackfyre. Não houve mais protestos contra a ascensão de Maegor depois disso.

Maegor levou Alyssa Velaryon, a rainha viúva de Aenys I, e a mãe do Príncipe Aegon, como refém, como residente em Pedra do Dragão. Os filhos menores de Alyssa, Jaehaerys e Alysanne, foram mantidos em Pedra do Dragão com ela, enquanto seu filho, Príncipe Viserys, foi feito escudeiro de Maegor, para que ele pudesse ser mantido perto como refém, garantindo o bom comportamento de Alyssa.

Corvos voaram, declarando um novo rei havia sido coroado e que aqueles que o desafiassem sofreriam uma morte de traidores. O inimigo que desafiou Maegor foi a Fé Militante. Maegor montou Balerion e partiu para Porto Real, para esmagar a revolta. Aterrissando na colina de Visenya, ele fincou seu estandarte, reunindo seus seguidores. Visenya desafiou aqueles que questionassem o direito de seu filho de governar. Este desafio foi aceito pelo capitão dos Filhos do Guerreiro. Sor Damon Morrigen desafiou Maegor a um Julgamento de Sete, que Maegor aceitou. Sor Damon e seis Filhos do Guerreiro lutaram contra o rei e seus seis campeões. No final, apenas Rei Maegor foi deixado vivo. Os outros treze participantes estavam mortos. Maegor levou uma pancada na cabeça, no entanto, e caiu apenas quando o último Filho do Guerreiro morreu. Ele entrou em coma, que durou um mês. No vigésimo oitavo dia de coma de Maegor, Rainha Alys Harroway voltou de Pentos, trazendo com ela Tyanna da Torre, que havia se tornado amante de Maegor durante o seu exílio.

Tyanna cuidou de Maegor, e no trigésimo dia de seu coma, ele acordou. Montou Balerion e sem um aviso sobrevoou o Septo da Memória na Colina de Rhaenys, onde ele desencadeou as chamas do dragão que consumiram o septo e tudo dentro. Aqueles que tentaram fugir foram mortos pelos arqueiros que Maegor tinha colocado ao redor da colina. Disseram que os gritos dos queimados e moribundos ecoou nas ruas de Porto Real e por sete dias uma nuvem negra pairou sobre a cidade. O Alto Septão manteve firme oposição a Maegor.

A insurreição militante da Fé não foi esmagada, e durante todo o reinado de Maegor eles permaneceram seus inimigos mais amargos. Ele esmagou as rebeliões com métodos cruéis e brutais, e instituiu um novo conjunto de leis que ficou conhecido como a Lei de Maegor, proibindo santos homens de portarem armas. Ele colocou recompensas sobre qualquer um que se recusasse a cumprir sua lei, oferecendo um dragão de ouro para o couro cabeludo de um Filho do Guerreiro e um veado de prata para o couro cabeludo de um Pobre Companheiro, o que lhe valeu o apelido de "O Cruel".

A Fé não foi a única oposição que Maegor enfrentou durante o seu reinado. O filho mais velho de Aenys, Príncipe Aegon, lançou uma rebelião contra Maegor, para tentar reconquistar o trono que por lei deveria ter sido seu. Isto terminou em uma batalha no Olho de Deus em 43 d.C., quando Maegor, montado em Balerion, matou Aegon, junto com seu dragão Quicksilver.

O reinado de Maegor não foi só de negatividade. Em 45 d.C., Maegor viu a conclusão da Fortaleza Vermelha, nomeando-a de Fortaleza de Maegor. Na falta de quaisquer herdeiros, Maegor havia se empenhado nesse projeto, pessoalmente supervisionando tudo. Enquanto ele deixou a tarefa diária de comandar o reino para sua Mão do Rei e sogro, Lorde Lucas Harroway enquanto ele próprio planejava uma série de túneis e passagens secretas escondidas sob a construção do castelo.

Mas mesmo a grande realização de completar a Fortaleza Vermelha foi transformado em horror por Maegor. Após sua conclusão, Maegor organizou uma enorme festa desenfreada para os construtores, pedreiros, artesãos e todos aqueles que participaram da construção. Depois de três dias de folia patrocinados pelo rei, Maegor ordenou que todos eles fossem mortos pela espada, a fim de proteger os segredos das passagens ocultas que ele havia construído.

Após a conclusão da Fortaleza Vermelha, Maegor planejou que as ruínas do Septo da Memória fossem retiradas da Colina de Rhaenys, e decretou que um grande Fosso dos Dragões seria construído sobre a colina para que a Casa Targaryen deixasse ​​seus dragões reais. Depois de tudo o que aconteceu aos construtores da Fortaleza Vermelha, não deve ter sido surpreendente que Maegor teve problemas para encontrar novos construtores e pedreiros para realizar a construção. Como muitos fugiram da cidade, Maegor foi forçado a usar prisioneiros de masmorra da cidade como sua força de trabalho supervisionados por construtores trazidos de Myr e Tyrosh.

O rei Maegor I morto no Trono de Ferro.

Após Maegor dizimar a Casa Harroway em 44 d.C., ele decretou que só os mais fortes de seus cavaleiros teria o castelo de Harrenhal, embora não todas as terras. Vinte e três cavaleiros lutaram nas ruas encharcadas de sangue na Cidade de Lorde Harroway pelo prêmio. Sor Walton Towers, embora gravemente ferido na confusão, foi o vencedor e a Casa Towers foi concedida Harrenhal, embora Sor Walton tenha morrido pouco depois devido aos ferimentos que ele tomou ao ganhar seu prêmio.

Maegor teve três Grandes Meistres executados durante o seu reinado, entre eles Grande Meistre Gawen em 42 d.C. e Grande Meistre Desmond em 44 d.C..

Em 44 d.C., a mãe de Maegor, a rainha viúva Visenya, faleceu. Sua morte devastou Maegor, pois ela tinha sido sua defensora mais ferrenha. O caos que sua morte trouxe, deu a rainha viúva Alyssa Velaryon uma oportunidade de escapar com seus dois filhos mais novos, Jaehaerys e Alysanne, a partir de Pedra do Dragão. Ela pegou a espada valiriana Irmã Negra e fugiu. Em resposta, Maegor ordenou a tortura do filho sobrevivente mais velho de Alyssa, o príncipe Viserys, morto por Tyanna da Torre depois de nove dias de interrogatório. Seu corpo mutilado foi deixado no pátio por uma quinzena, em uma tentativa de forçar a rainha viúva Alyssa para voltar e reclamar seu corpo. Alyssa não retornou.

Em 48 d.C., a tirania de Maegor não poderia ser mais suportada pelo reino. Nas Terras Fluviais, Septão Moon e Sor Joffrey Doggett levaram os Pobres Companheiros contra Maegor e ganharam Correrrio para a sua causa. Lorde Daemon Velaryon, o almirante da frota da Maegor, voltou-se contra ele e muitas grandes casas se juntaram a ele. Um novo pedido ao Trono de Ferro foi apresentado pelo último filho sobrevivente do falecido rei Aenys I Targaryen, Príncipe Jaehaerys, que foi apoiado por Lorde Robar Baratheon de Ponta Tempestade, que Jaehaerys nomeou como Protetor do Reino e Mão do Rei.

Quando Rhaena soube sobre seus irmãos, disseram que ela conseguiu escapar de seu casamento forçado com Maegor. Durante a noite, enquanto o marido dormia, montando em seu dragão Dreamfyre, ela conseguiu roubar a espada Blackfyre. Dois cavaleiros da Guarda Real de Maegor também o abandonaram. Esta série de traições e a perda da orientação de sua mãe deixaram Maegor um homem quebrado. Ele chamou os seus vassalos, mas poucos responderam e aqueles que o fizeram não foram suficientes para derrotar os seus muitos inimigos.

Durante a hora do lobo, os poucos que permaneceram deixaram a sala do trono, deixando Maegor sozinho. Ele foi encontrado morto sentado no Trono de Ferro, na manhã seguinte, suas vestes cobertas de sangue, seus pulsos cortados. Alguns dizem que ele foi morto por um cavaleiro de sua própria Guarda Real, que já não podia suportar a sua tirania, outros dizem que ele foi morto por um construtor que escapou do massacre e desejava vingança, e alguns sussurram que Maegor tinha sido morto pelo próprio trono. Talvez a explicação mais provável, porém, é que Maegor se matou abrindo seus pulsos nas lâminas do Trono de Ferro. Ele morreu sem deixar filhos.

A guerra com as ordens militantes só foi encerrada sob o reinado de seu sucessor, seu sobrinho, o rei Jaehaerys I Targaryen.

As Noivas de Maegor

Lady Ceryse Hightower, Tyanna de Pentos e Lady Alys Harroway. By Magali Villeneuve

Maegor era polígamo, e teve até seis esposas. Sua primeira esposa foi Lady Ceryse Hightower, que se casou com a idade de treze anos em 25 d.C.. Maegor alegou ter consumado seu casamento com Ceryse uma dúzia de vezes durante a noite de núpcias, mas o próprio casamento se provou estéril. Quando Ceryse continuoou a não dar à luz um herdeiro, Maegor começou a falar sobre outras noivas.

A primeira dessas outras noivas casou com Maegor em 39 d.C.: Lady Alys Harroway, filha de Lucas Harroway, o novo Senhor de Harrenhal. O casamento foi em segredo e a cerimônia foi liderada pela rainha Visenya. Quando Maegor foi exilado, Alys, o acompanhou.

Durante seus três anos no exílio, Maegor conheceu Tyanna, que se tornaria a mais temida de todas as suas esposas. Ela se casou com Maegor em 42 d.C., mas este casamento foi tão estéril como os dois casamentos anteriores. Ela serviu o marido como Mestre dos Sussurros.

Em 44 d.C., Alys foi a primeira das esposas de Maegor a dar à luz a uma criança. A criança era uma monstruosidade, sem olhos e retorcida. Em sua fúria, Maegor executou as parteiras, as septãs e Grande Meistre Desmond. Tyanna, no entanto, convenceu Maegor de que a criança seria de um caso secreto de Alys. Maegor, em resposta, executou Alys, o pai dela (e Mão do Rei), e todos os outros Harroway ele pôde encontrar.

Ceryse foi a próxima das esposas de Maegor a morrer. Em 45 d.C., Ceryse adoeceu de repente e morreu. Rumores afirmam que ela foi morta sobre o próprio comando de Maegor. Tyanna morreria em 48 d.C., morta pelo próprio Maegor, depois que ela admitiu que os natimortos foram obra sua, alegando que ela envenenou as outras esposas. Maegor cortou o coração dela com Blackfyre e alimentou seus cães com ele.

As Noivas Negras

Lady Elinor Costayne, Lady Jeyne Westerling e Princesa Rhaena Targaryen. By Magali Villeneuve

Em 47 d.C., Maegor casou-se com três mulheres em uma cerimônia. Todas as três provaram serem férteis, pois eram viúvas de homens que morreram nas guerras de Maegor, ou sob seu comando.

  • Lady Elinor Costayne era a mais jovem das três Noivas Negras, foi casada com Sor Theo Bolling, e dela nasceram três filhos. Sor Theo foi preso pela Guarda Real, acusado de conspirar com a rainha viúva Alyssa Velaryon, e executado - tudo no mesmo dia. Elinor, agora 19 anos, foi convocada para casar com Maegor duas semanas depois. Elinor ficou grávida de Maegor, e dela nasceu uma criança sem olhos e com pequenas asas. Elinor sobreviveu ao reinado de Maegor.
  • Lady Jeyne Westerling, a viúva de Lorde Alyn Tarbeck, deu para seu primeiro marido um filho póstumo. Ela ficou grávida de Maegor em 47 d.C., mas a criança veio três meses antes do esperado. Outro monstro natimorto saiu de seu ventre e Jeyne não iria sobreviver por muito tempo.
  • Princesa Rhaena Targaryen: quando Tyanna encontrou as filhas gêmeas de Rhaena com o Príncipe Aegon, Aerea e Rhalla, Rhaena foi forçada a casar com Maegor. Maegor nomeou Aerea como sua herdeira (deserdando Príncipe Jaehaerys). Rhaena, ao saber que seu irmão tinha feito a sua reivindicação, fugiu de Porto Real no lombo de Dreamfyre, roubando Blackfyre no caminho. Ela foi a segunda mulher a viver mais que Maegor.

Pequeno Conselho de Maegor I

Durante o reinado do Rei Maegor seu pequeno conselho teve os seguintes membros conhecidos:

Família

 
 
 
 
 
 
{Valaena Velaryon}
 
 
 
 
 
{Aerion}
 
 
 
 
 
Desconhecida
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
{Visenya}
 
 
 
{Aegon I}
 
 
 
{Rhaenys}
 
{Orys
Baratheon}
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
{Jeyne Westerling}
 
{Maegor I}
 
 
 
{Aenys I}
 
 
 
 
Casa
Baratheon
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
{Jaehaerys I}
 
{Alysanne}
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Vários
descendentes
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
{Viserys I}
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


Nota: Esta página utiliza conteúdo da A Wiki Of Ice And Fire. O conteúdo original está aqui em Maegor I Targaryen. A lista de autores pode ser vista no histórico da página.