Campo de Fogo

De Game Of Thrones BR wiki
Ir para: navegação, pesquisa
Campo de Fogo
AGOT 13.jpg
Ilustração por Paul Youll para A Guerra dos Tronos - Edição Ilustrada ©
Conflito Guerra da Conquista
Data ~ 2 d.C.
Local Campina
Resultado Vitória da Casa Targaryen
Submissão da Campina e das Terras Ocidentais
Fim da Casa Gardener e ascensão da Casa Tyrell
Beligerantes
Casa Targaryen Reino do Rochedo (Casa Lannister)
Reino da Campina (Casa Gardener)
Comandantes
Aegon, o Conquistador
Jon Mooton
Rei Loren Lannister, do Rochedo
Rei {Mern Gardener}, da Campina
Forças
11 000 homens
3 dragões adultos
55 000 homens
Baixas
Menos de 100 homens mortos 1 000 homens mortos em combate
4 000 homens queimados vivos

Mern IX Gardener †
Edmund Gardener †
Gawen Gardener †

O Campo de Fogo foi o nome dado a uma batalha ocorrida durante a Guerra da Conquista, travada ao norte da Campina.[1]

Antecedentes

Aegon, o Dragão, havia desembarcado em Westeros com o objetivo de tomar os Sete Reinos para si. Após a conquista de Ponta Tempestade e das Terras Fluviais, onde o rei Harren, o Negro, foi assado vivo em sua torre, Aegon voltou seus olhos para as Terras Ocidentais. A maioria dos soldados dos Targaryen eram conscritos das Terras Fluviais. Lorde Jon Mooton de Lagoa da Donzela, um dos primeiros nobres a dobrar o joelho para Aegon, recebeu o comando do exército Targaryen.[2][1]

Alarmado pela rápida expansão dos Targaryens, o Rei Loren Lannister, de Rochedo Casterly, uniu-se ao Rei da Campina, Mern Gardener, para enfrentar o invasor. Os dois monarcas reuniram uma tropa de mais de 55 000 homens (em oposição aos 11 000 de Aegon), incluindo 5 000 cavaleiros montados. Como tinha trazido mais soldados do que Loren, Mern comandou o centro do exército, junto com seu filho Edmund, na vanguarda. Loren liderou o flanco direito, com Lorde Oakheart no esquerdo.[2]

O lorde Manfred Hightower, o Senhor de Vilavelha, ouviu os conselhos do Alto Septão e não respondeu ao chamado do Rei Mern, mantendo seus homens em suas terras.[2]

A Batalha

Os exércitos se enfrentaram ao sul da Torrente da Água Negra, perto da Estrada de Ouro. O rei Lannister e o rei Gardener pretendiam flanquear as forças de Aegon e então usar sua cavalaria para esmagar o centro das linhas Targaryen, onde eles haviam firmado sua principal posição defensiva.

As duas tropas aliadas quebraram a coesão da linha defensiva dos soldados Targaryen, mas Aegon e suas irmãs vieram pelo ar, montado em seus dragões Balerion, Meraxes e Vhagar. Os dragões começaram a cuspir fogo no campo seco, com a fumaça sendo empurrada pelo vento em direção aos exércitos Gardener e Lannister. As tropas Targaryen, que estavam contra o vento, se saíram praticamente ilesas das chamas e contra-atacaram. O rei Loren, ao perceber que Aegon havia dominado o campo de batalha, conseguiu evadir o fogo e bateu em retirada.[2]

Os dragões mataram mais de 4 000 homens das forças combinadas Lannister e Gardener, entre eles o rei Mern IX da Campina e todos os seus filhos, netos, irmãos, primos e outros parentes.[1] Os cavaleiros da Ordem da Mão Verde foram exterminados. Pelo menos mil combatentes pereceram também perante as espadas e lanças das forças leais a Aegon, com outros 10 000 sendo feridos (pelas espadas ou pelas chamas). No lado dos Targaryens, foram pelo menos 100 mortos em combate, com Visenya sendo ferida com uma flecha no ombro. Um sobrinho do rei Mern sobreviveu, mas ele cedeu as queimaduras e faleceu três dias depois. Sua morte marcou a extinção da Casa Gardener.[2]

Esta batalha, a única na Guerra da Conquista onde todos os três dragões Targaryen lutaram juntos ao mesmo tempo, ficaria conhecida como Campo de Fogo.[1]

Conclusão

A vitória no Campo de Fogo selou a vitória Targaryen em sua conquista dos Sete Reinos. Ao ver a destruição causada pelos dragões aos Lannisters e aos Gardeners (além da fumaça que ainda se levantava da queima de Harrenhal), Torrhen Stark, o rei no norte, decidiu dobrar o joelho a Aegon sem esboçar qualquer resistência.[2]

Loren Lannister decidiu se ajoelhar e jurar fidelidade a Aegon Targaryen, e este permitiu que ele mante-se seu título e o nomeou Protetor do Oeste. Com o rei Mern morto, Aegon aceitou a rendição de Jardim de Cima pelas mãos de Harlen Tyrell, o intendente do castelo. O rei Targaryen decidiu nomear o chefe da Casa Tyrell como o novo governante da Campina. Isto enfureceu a Casa Florent que, por direito de sangue, possuía a melhor pretensão a herdar os títulos e terras dos Gardener.

As espadas dos inimigos derrotados no Campo de Fogo foram levadas ao Forte de Aegon e seriam posteriormente usadas para forjar o Trono de Ferro.[2]

Referências e Notas

  1. 1,0 1,1 1,2 1,3 A Guerra dos Tronos, Capítulo 13, Tyrion.
  2. 2,0 2,1 2,2 2,3 2,4 2,5 2,6 O Mundo de Gelo e Fogo, The Reign of the Dragons: The Conquest.